A Ordem Contra a Morte

PARA UMA LEITURA MAIS PROFUNDA, ACONSELHO LER AO SOM DESSA MÚSICA.

– Acordei assustado após ter sonhado com algo horrível, a morte correndo atrás de mim e fincando sua foice com força em minha costela, me puxando e levando para o abismo. Porém, não sei se eu fico mais assustado pelo sonho ou pelo fato de ter acordado. Os sonhos não são reais, mas aqui agora sim. E ela está aqui!

Nicolay em pé ao lado de sua cama suando frio, sua cor pálida lhe entregava o medo e o desespero que sentia. Ele pega seu copo e sua garrafa de whisky que estão na cabiceira ao lado de sua cama. Tremendo ele coloca o whisky no copo e bebe de uma vez só.
Suas vistas escurecem. Na escuridão de seu olhar ele o vê gritando apavorado amarrado por correntes.

Enquanto sua visão clareava novamente, Nicolay deixa sua garrafa e seu copo caírem no chão quebrando-os em pedaços. A feição de seu rosto era de medo profundo.

Ele vira rapidamente para sua janela feita inteiramente de madeira e a abre, logo após se senta na mesma virado para o lado fora.

– Aqui estou eu, novamente, sentado na janela do meu apartamento no oitavo andar pensando o que fazer da minha vida. Não me importa se estou me molhando com esse temporal nessa noite fria. Aliás, isso me acalma, me faz sentir tranquilo comigo mesmo. Não sei o que acontece, talvez eu seja viciado, sim! Viciado na minha própria tristeza. Talvez ela seja minha única companheira aqui e agora. Único sentimento agora é aquele aperto no meio do peito e o frio no estômago. Há tempos isso me consome, a cada dia um pouco mais.

Olhando para o céu fixadamente com o rosto neutro, Nicolay vai fechando seus olhos lentamente até a escuridão predominar novamente.

Com os olhos fechados Nicolay sente algo tocando suas costas, porém não consegue se mover. Algo o paralizava, porém seu coração e sua respiração ficaram extremamente fortes. O pavor lhe consumia por inteiro.

Nicolay paralisado sabe que o que lhe tocava nas costas era uma mão, pois sentiu os cinco dedos querendo afundar em suas costas. Sentia a frieza com que aquela mão o tocava, úmida e fina.

Ao mesmo tempo em que sentia a mão tentado o perfurar, em seu ouvido esquerdo ele conseguia ouvir uma respiração seca e brutal se aproximando cada vez mais. Seu corpo começa a queimar de dentro para fora fazendo com que Nicolay tente gritar, porém sem sucesso devido à sua paralização.

Nicolay começa a sentir seu corpo escorregar pela janela aos poucos sem poder fazer nada. A cada segundo passante seu corpo se inclina mais para os vinte e dois metros de queda, que seria fatal.

Em seu ouvido direito, Nicolay ouve uma risada feminina malígna como se estivesse debochando daquilo tudo, o que não era mentira.

– O que está acontecendo? Socorro! Tenha Piedade de mim! Peço perdão por tudo o que fiz em toda minha vida! Me salve! – Grita Nicolay em sua mente.tumblr_static_tumblr_static_filename_640

Seu corpo vai se desprendendo aos poucos da janela até que Nicolay começa a cair em queda livre. Em sua queda seus movimentos retornam e ao mesmo tempo abre seus olhos, porém Nicolay fica inerte e seu coração diminui seus batimentos, quase parando.

Nicolay aceita aquele seu fim, pois sabia que ali acabaria seu sofrimento. Nicolay fecha seus olhos e espera sua morte chegar silenciosamente.

– Meu fim chegou. Me perdoe! – Pensa Nicolay chorando.

Enquanto caia, uma luz branca invade a mente de Nicolay e uma voz doce aparece dizendo:

– Por que Nicolay? Tu não podias! Agora, vamos! Acorde!

Nicolay abre seus olhos apavorado e vê que se encontra em sua cama novamente. O dia está ensolarado e fresco, o tipo de dia que Nicolay amava.

Feliz porque aquilo tudo não tinha passado de um sonho, Nicolay levanta feliz e abre sua janela. Ao abrir, ele respira fundo e sorri. Porém, Nicolay sente algo o incomodando nas costas. Ele passa a mão, porém não sente nada. Curioso, Nicolay vira para o espelho e ali fica parado pasmo e começa a chorar.

Em suas costas estava escrito uma frase, fora escrita com arranhões de um jeito agressivo. Logo Nicolay lembrou da mão que o tocara e sentou-se.

Ali se encontra escrito:

“NÃO DESPERDICE SUA VIDA. CUIDE-SE E FAÇA VALER A PENA. SEJA FELIZ”

– William Heleno

4 comentários em “A Ordem Contra a Morte

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: