Vamos ser apenas um?

Música para leitura (Opcional)

-Onde você está me levando? -Perguntou Faby sorrindo.

-Se eu te falar não irá ter graça. -Erick respondeu também sorrindo.

Ambos andavam e Erick seguia atrás de Faby a guiando com as mãos em sua cintura.

Depois de algum tempo andando:

-Pronto, chegamos. -Sussurou Erick no ouvido de Faby.

Sentindo uma brisa doce e fria em seu rosto, Faby respirou fundo. Enquanto isso, Erick tirava as vendas de Faby lentamente, porém ela continuava com seus olhos fechados e lentamente os iam abrindo. Ao abrir os olhos, Faby viu que se encontrava em um campo aberto com inúmeras lindas flores ao seu redor, que tinham um cheiro doce e que dançavam suavemente ao ritmo da brisa que batia. Ao fundo ela avistava o lindo sol se pondo. As nuvens se desenhavam e se coloriam como se alguém as tivessem pintando. Ao ver aquilo, seus olhos começaram a brilhar e as lágrimas se formavam.

-Lindo, não? -Disse Erick olhando para Faby.

-Eu não sei nem o que dizer. -Disse emocionada.

Faby se virou e o abraçou bem forte. Erick a correspondia com o mesmo intenso abraço e carícias em sua cabeça. Enquanto ali estavam, Erick disse:

-Sabe por que eu te trouxe aqui? Preciso te falar algumas coisas.

-Falar o que? -Pergunta Faby com sua voz doce e olhando nos olhos de Erick.

Colocando sua mão no rosto de Faby e a acariciando suavemente, Erick disse:

-Nos conhecemos há algum tempo e acabei descobrindo uma coisa. Esses olhos que agora vejo acabaram mudando minha vida. Você pequena, mudou minha vida! Eu te trouxe aqui na vista mais bonita para te dizer a coisa mais bonita. Sabe o que eu quero de você? Eu quero que você deite em meu colo e durma, quero que você me abrace o mais forte que conseguir, quero que diga que precisa mais de mim, quero que você me morda, quero que você me faça rir, quero que você me encha de beijos, de mimos, de carinho. Quero que você encoste a cabeça em meu peito para eu poder acariciar sua cabeça, quero que você ouça meu coração e veja que ele bate por você. Eu quero te ver acordar descabelada, vestindo pijama, reclamando da hora, com os olhos inchados. Quero ver você chorando de felicidade, rindo. Quero poder te levar café da manhã na cama, quero poder te carregar no colo, quero te tacar almofadas e que você revide. Quero poder te levar para ver o pôr do sol, o nascer do sol, as estrelas. Quero poder te dar a flor mais linda. Quero estar presente na sua vida e quero você presente na minha, quero fazer parte de todos os seus sentimentos, mas quero que você sinta somente os melhores. Quero te chamar de minha pequena, de meu amor, de minha princesa. Quero que sejamos apenas um. Quero você para mim Faby!

Enquanto Erick falava, Faby deixava suas lágrimas caírem e não conseguia fazem mais nada além de olhar para os olhos de Erick que também chorava enquanto continuava a dizer:

-Faby, eu aprendi a gostar de você. Eu aprendi a me apaixonar por você.

Erick parou de falar por alguns segundos, pois não conseguia mais falar, tinha um nó em sua garganta. Sua emoção era tanta. Mas ao respirar fundo continuou:

-Faby, eu te amo. Eu te amo tanto. -Disse aos prantos.

Faby também emocionada e chorando passa suavemente suas mãos no rosto de Erick para enxugar suas lágrimas. Após as secarem, Faby o abraçou o mais forte que conseguiu.

-Eu também te amo tanto. Eu não teria vindo se eu não te amasse. Me mostre que mágica é essa que você usa para me surpreender sempre. Me ensine a usar esse olhar conquistador, para eu te conquistar todos os dias. Que truque é esse que faz eu gostar de você cada dia mais?  Me ensina o que é amar. Eu também quero que sejamos apenas um.

Ambos se olharam e sorriram por alguns instantes. Mas enquanto se olhavam, o sorriso ia indo embora dando lugar a apenas olhares profundos que diziam tantas coisas. Erick então aproximava sua boca na boca de Faby, e depois de mais olhares trocados, eles se beijaram. Os último raios de sol os iluminavam, mostrando-os que ali começava uma nova vida, uma vida juntos.

Enquanto o sol dizia adeus, a Lua vinha também os iluminando, e junto dela, as estrelas, que os mostravam que o amor é infinito e que nunca estariam sozinhos, onde quer que estivessem.

-Minha princesa! -Disse Erick bem baixinho.

-Sua! -Disse Faby com a voz meiga.

Erick deu um sorriso e pegou Faby no colo e começou a andar pelas flores. Faby sorria sem parar e ficava olhando para o céu. Então Erick parou, sorriu e, começou a rodar. Faby gritava e ria ao mesmo tempo. Depois de algumas rodadas, Erick para e se sente tonto e deita Faby no chão, logo após se deita ao seu lado e ambos caem na risada. Entre o sorriso, um selinho que demorou algum tempo, como se o mundo e o tempo tivessem parado ali. Continuaram se olhando como se fosse a última vez. Erick passa sua mão na cabeça de Faby suavemente e então beija sua testa numa doçura que Faby sentiu o beijo na alma.

Faby encosta sua cabeça no peito de Erick e ambos ficam olhando para as estrelas em silêncio, somente o barulho das flores balançando, o vento soprando e seus corações batendo. Agora como um casal, sendo apenas um. E ficaram ali, juntos, sem se importar com o tempo, até porquê o tempo não é nada quando seu coração está batendo por alguém.

-William Heleno

Um comentário em “Vamos ser apenas um?

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: